Make your own free website on Tripod.com


 homecursos email

 SHANTA'S CENTRO DE EDUCAÇÃO HOLÍSTICA - ARTIGOS - voltar

 

      ENERGIA, CONSCIÊNCIA E CURA

      Maria Duques
      +Nov/2001


         O nosso mundo vem passando pela mais profunda e silenciosa revolução de todos os tempos, uma revolução que afeta os nossos padrões de vida, de compreensão do Universo e de nossos conceitos menteuniversalde saúde e de doença. Sob a bandeira da chamada "Nova Era" essa revolução se faz. Apesar do descrédito de alguns e da perseguição de outros, ela se presentifica em nossas vidas, nesse nosso mundo onde os objetivos lineares e lógicos parecem ser os únicos aceitáveis.
         Essa revolução,na acepção primeira da palavra ( re-volver) é a re-descoberta da energia vital universal. E isto nos faz re-volver ao conhecimento que os antigos expressaram na arte, na ciência e na religião.
         A mídia se ocupa mais e mais dessa revolução e são divulgados – muitas vezes com as tintas do sensacionalismo – as "curas milagrosas" e os feitos extraordinários que estão ocorrendo em todo o mundo. Há uma fascinação sobre a questão e cresce o interesse pela questão da energia vital universal que torna esses "fenômenos" possíveis.
         No Oriente essa força vital sempre foi conhecida. No Ocidente esse conhecimento foi – e ainda é – obstaculizado pela chamada "cultura científica".
         Egípcios, gregos, chineses, tibetanos, judeus, havaianos e muitos outros povos conheceram e usaram essa força e embora muitos nomes lhe tenham sido dados, o conceito de que essa energia impregna e permeia todas as coisas é comum a todos.
         Na nossa ilusão cientificista, vivemos o deslumbramento da descoberta do holograma. Esse, porém, é outro conceito muito antigo. Aristóteles, que sistematizou e organizou o conhecimento científico de sua época, usava o termo energeia para descrever aquilo que transforma potencialidades em atividade e considerava a forma como manifestação da energeia. Ele sugeriu que objetos – aos quais deu o nome de Homolomeries – podiam ser divididos em partes qualitativamente iguais.

         Conceitualmente, estão aí os nossos hologramas.No nosso universo científico, a palavra "energia" é usada para explicar as "manifestações" como a eletricidade, o magnetismo e outras, mas não há explicação do que ela é, isto é, de sua essência. E isto ocorre porque a energia é um processo que não pode ser explicado pelo conteúdo. A "matéria energética" não é uma substância.

         As proposições cartesianas isolaram mente e matéria e as teorias newtonianas separaram os eventos físicos e são, ainda hoje aceitas mas a energia vital atua segundo leis de integridade – ela busca a totalidade, a integridade.

      A ortodoxia científica reconhece como "forças" as forças nucleares fortes e fracas, o eletromagnetismo e a gravidade. A luz, o som, as energias mecânica, química e nuclear são consideradas como manifestações dessas forças.
         Faz parte da Antiga
      Sabedoria o conceito de que a energia é uma e tem várias formas, algumas conhecidas, outras não. Com o tempo, a divisão quádrupla de forças que a nossa ciência reconhece pode vir a ser considerada meramente acadêmica.
         No começo
      da década de 60, um novo campo de estudos, a Psicotrônica, começou a pesquisar fenômenos energéticos ainda não explicados pelas leis atualmente conhecidas pela ciência. Suas descobertas apoiam a existência de uma forma de energia que vibra além da velocidade da luz, o que a física convencional considera impossível, apesar de alguns físicos teóricos proporem a existência de partículas tachyons que teriam essa propriedade.
         Jack Sarfatti, um
      físico que participou das pesquisas da Psicotrônica, diante de experiências de "comunicação de energia" ocorridas sem que nenhum sinal de "transporte" dessa energia fosse detectável, postula que isto só pode ocorrer se o processo for mais rápido que a luz. A comprovação de sua hipótese provará que tudo no Universo está interligado de uma forma que todas as partes "sabem" o que as outras estão fazendo e reagem de acordo.
         Por se considerarem
      "objetivos" muitos – cientistas, inclusive – esquecem que seus interesses podem desempenhar um papel nos resultados de suas pesquisas. A física quântica nos revela que o observador e o que ele está observando são uma só coisa. Heisenberg, outro físico, formulou o "Princípio da Incerteza", posteriormente comprovado, postulando que toda tentativa de observar algo influencia e altera este algo.

         No momento em que concentrarmos nossa energia em algo, afetamos esse algo. Se, por ex., nos concentramos continuamente nas dificuldades da vida, investimos energia em sua continuidade. A consciênciaé um aspecto qualitativo e direcional da energia. Literalmente consciência significa "partilhar conhecimento". Portanto, falar de consciência é falar de percepção da informação. Estar consciente é estar ciente do conhecimento.
         Se considerarmos
      a natureza da energia, consciência é "conhecimento da essência da vida". E nós, seres humanos, somos – até onde sabemos – os únicos organismos cientes da própria percepção. Outras formas de matéria/energia têm percepção mas não são capazes de refletir sobre isto.
         A diferença
      entre a matéria inorgânica e os seres sencientes é, apenas, a quantidade de consciência. Níveis diferentes de consciência correspondem a qualidades e freqüências de energia diferentes. Quanto mais elevada a consciência mais elevada é a freqüência energética. Para alguns a consciência é a variável oculta que transcende o tempo e o espaço.
         Evoluir a um nível
      superior de consciência significa, portanto, causar mudanças nos níveis de percepção. Isto, porém, necessita ser plenamente integrado ao cotidiano para que o novo nível de consciência se torne efetivo. A não integração ao cotidiano impede a continuidade de permanência na freqüência energética e é por isso que alterações nos níveis de consciência causados por drogas assumem caráter esporádico.
         As leis que regem
      os níveis superiores de consciência têm comando sobre as de níveis inferiores. É por isto que, por ex. , a nossa mente influencia muito mais o nosso físico – e a medicina psicossomática comprova isto – do que o nosso físico influencia a nossa mente.
         O processo de evolução
      é o de dar a chance a nós mesmos de elevar a nossa consciência à realidades de freqüências mais elevadas.
         A doença
      é considerada um estado desarmônico entre as vibrações do interior do corpo e/ou entre o corpo e o ambiente exterior. A chave para a saúde é a harmonia das vibrações energéticas.
         O processo básico
      da cura usando a energia vital é a consciência. Tornando-nos mais conscientes abrimos as portas da percepção e temos mais possibilidade de ver mais em nós e no mundo.
         Ligados à
      totalidade universal, os praticantes do que hoje é chamado "Medicina Vibracional", se transformam em canais para a energia da Alma Universal, origem de todas as coisas. Ao se tornar um canal o curador espiritual renova o vínculo com o âmago, do qual, como seres humanos, surgimos.
         Quotidianamente
      tenho sido testemunha dessas curas tida por tantos como "milagrosas". Sou, eu mesma, um canal para essa energia vital universal e vejo, em muitos, o riso céptico quando digo que trabalho com uma "energia inteligente" que "sabe" a causa da desarmonia que se manifesta e que vai trabalhar na "causa" até que o equilíbrio se estabeleça e a consciência se expanda.
         Minha intimidade
      com a física, a partir da minha formação em engenharia, me leva a tratar tudo como o processo meramente energético que o meu trabalho é. Não há necessidade de fé. Nem sequer há necessidade que se acredite no processo. A cura acontece. Sempre. Mesmo que não se manifeste no nível físico, se manifesta na consciência.

      É que a energia vital universal – REIKI – conhece o caminho de volta para a totalidade. Um caminho universalmente usado por muitos antes de nós.

 

(*) Maria Duques era Mestre e Professora de REIKI - Sistema Usui de Cura Natural, terapeuta floral e escritora: foi autora de "Os Florais de Bach e as Síndromes do Feminino" e de "Re-abrir o Coração - Tratamento espiritual de Viciados", publicados pela editora "Rosa dos Tempos".

 Voltar Próximo
 Todo e qualquer texto deste site requer autorização prévia para sua edição em outros sites. Obrigada.
 

 

 homecursosquem souemail

 http://sites.uol.com.br/claudiagiovani/

Atualizada em 27/10/01